12 de fevereiro de 2013

ANÁLISE DO MODELADO DA SUPERFÍCIE E DA INTERFERÊNCIA HUMANA EM IBIRITÉ, BORDA DO QUADRILÁTERO FERRÍFERO


O município de Ibirité está localizado a sudoeste da capital mineira, fazendo hoje parte da região metropolitana de Belo Horizonte e sendo vizinha da região do Quadrilátero Ferrífero. 

Nos últimos anos, Ibirité está convivendo com uma importante intensificação do sistema urbano e industrial, fato esse relacionado à proximidade com Belo Horizonte, que está acarretando uma série de modificações no espaço natural e no espaço antrópico. A criação de parques, como o Parque Estadual do Rola Moça, tem sido uma medida governamental que tenta diminuir o avanço da ação humana, como as ocupações irregulares e as constantes queimadas, que acontecem principalmente no inverno, sobre o frágil ambiente natural da região.

Uma atividade econômica que vem se destacando é o cultivo de hortifrutigranjeiros, realizado geralmente nas áreas de menor altitude e que se torna importante fonte de abastecimento alimentar de Belo Horizonte.

Ibirité apresenta como principais formas de relevo os planaltos (serras e escarpas) e as depressões (áreas mais planas e que também apresentam colinas e morros suaves) onde pudemos observar a ocorrência de processos erosivos.

A vegetação vai se diferenciar de acordo com a altitude: nos locais de altitude mais elevada vai predominar a vegetação do tipo “campos rupestres” do cerrado, em solos superficiais e mais resistentes, que não permitirão o crescimento de árvores, mas tão somente de gramíneas e arbustos; já nos locais de menor altitude encontramos a ocorrência da Mata Atlântica, onde o solo é mais profundo e menos resistente, sendo, portanto, mais propício ao crescimento das diversas espécies vegetais recorrentes na Mata Atlântica, do tipo Floresta Estacional Semidecidual, na qual ocorrem gramíneas, arbustos, samambaias, orquídeas, palmitos e árvores de pequeno e médio porte.

O arcabouço geológico é formado principalmente por rochas das eras Paleozóica e Pré-Cambriana, ou seja, rochas que são geologicamente muito antigas. Geralmente ao longo das serras do Rola Moça, da Jangada e da Serra dos Três Irmãos é que estão localizadas as rochas mais recentes da era Cenozóica. 

O clima de Ibirité é o tropical de altitude, que possui duas estações bem definidas: o verão chuvoso, com temperaturas médias diárias mais elevadas; e o inverno seco, com temperaturas médias diárias mais amenas, sendo que durante a noite e pela manhã as temperaturas chegam a causar frio ameno, típico do período de inverno das regiões tropicais.

A rede hidrográfica é essencialmente formada por córregos e ribeirões, que correm das regiões altimetricamente mais elevadas para as mais baixas, onde formam vales férteis, nos quais ocorre a prática da atividade agrícola, especialmente o cultivo de verduras e legumes que irão abastecer a capital mineira e seu entorno.

É importante constatar que a ação antrópica se modela a partir das delimitações que o espaço natural exerce, ou seja, o espaço natural pode favorecer ou não as atividades humanas economicamente produtivas Por exemplo, quase ninguém irá querer produzir frutas em terreno íngreme e pouco fértil.

No entanto, apesar das dificuldades impostas pela natureza naquela região para o desenvolvimento de atividades agrícolas e/ou agropecuárias, os moradores locais têm se organizado para driblar as adversidades naturais e se tornarem capazes de produzir gêneros alimentícios.

O modelado da superfície da folha de Ibirité é basicamente caracterizado por uma região planáltica (que se estende, simplificadamente, de leste para oeste) e de uma região de depressão (onde estão os vales) que representa espacialmente a maior parte do relevo.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------
RELAÇÕES E SÍNTESE

> A região de Ibirité—MG apresenta como formas principais de relevo um planalto e uma depressão. Ambos se prestam ao estímulo da atividade turística. 

> É claramente perceptível a grande influência do intenso processo de urbanização e industrialização na modificação do espaço geográfico.

> As rochas encontradas na região estudada são formadas principalmente nas eras Paleozóica e Pré-Crambiana, ou seja, são rochas muito antigas geologicamente, que ao longo do tempo sofreram diversos processos erosivos e intempestivos, que resultaram na modulação da paisagem, da qual a indústria turística se vale, se utiliza, para desenvolver suas atividades econômicas.

> A vegetação é formada por campos rupestres nos planaltos, onde predominam gramíneas e herbáceas, e pela Mata Atlântica  do tipo Floresta Estacional Semidecidual nas depressões e vales.

> A interferência urbana tem sido maior nas áreas de depressão e vale, pois seria inviável habitar ou cultivar nas regiões mais acidentadas do relevo local.

> As rochas mais resistentes, como os itabiritos, estão localizadas em áreas de altitudes mais elevadas e sofrem menos com a ação dos intemperismos pela sua resistência aos mesmos.

> O solo da região de um modo geral é pobre e raso, dificultando o desenvolvimento de diversas atividades agrícolas, que precisam se restringir a determinadas áreas e a determinados produtos.

> Ultimamente o governo do Estado de Minas Gerais está criando parques de conservação na região estudada para tentar impedir a aceleração de processos de degradação feitos ou impulsionados pela ação antrópica exploratória.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Carta topográfica de Ibirité (Escala 1:25.000), 
Carta geológica de Ibirité (Escala 1:25.000), 
www.google.com / imagens,
pt.wikipedia.org/wiki/campos_rupestres,
pt.wikipedia.org/wiki/Mata_Atlantica,

2 comentários:

  1. Hola, gostei muito do seu Blog, desculpe meu portuñol. Felicitaciones y un gran saludo desde:
    http://leyendas-de-oriente.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelas palavras. Visite-o sempre! Leonardo Mendonça.

    ResponderExcluir