23 de maio de 2016

TOCHA OLÍMPICA EM BH


O contato com um evento histórico e a emoção de presenciar o espírito da tocha olímpica de perto, que antes só era possível pela televisão, levou milhares de pessoas ás ruas de Contagem e Belo Horizonte, durante o revezamento da tocha olímpica. Quando o comboio passava com os carros de apoio e, principalmente, com os condutores, o público gritava, aplaudia, tirava fotos e se emocionava com o evento olímpico.

Em Contagem, a tocha percorreu 3,7 km e contou com 17 condutores. Ela saiu do bairro Cinco, em frente ao Corpo de Bombeiros, e seguiu até a avenida Babita Camargos. Em seguida, o revezamentos foi para Belo Horizonte, onde 150 condutores participaram do evento. Na capital mineira, a tocha passou pelos principais pontos turísticos da Pampulha, centro e região da Savassi. Além das pessoas que acompanhavam o comboio, outras já aguardavam no locais em que a tocha iria passar. Antes mesmo do revezamento acabar, o público já demonstrava a emoção de acompanhar o momento histórico na cidade.

"O revezamento é muito importante para as crianças entenderem a importância do esporte e como ele pode mudar a vida das pessoas. Tento incentivar meus filhos ao máximo. Olha a empolgação das crianças. As olimpíadas também ajudam a unir as pessoas", relata o empresário Bruno Flávio Dornas, que estava acompanhando os dois filhos, Guilherme (7 anos) e Bruna (10 anos).

Se já era emocionante para quem assistia, não era diferente para os condutores da tocha. A alegria por fazer parte da festa era manifestada das mais diversas formas. A publicitária Mariane Davis (33 anos), recebeu a chama olímpica na praça do Papa e não conteve as lágrimas. "É muita emoção, não tenho palavras para descrever esse momento. Durante o revezamento, vou levar comigo o amor da minha família e dos meus amigos. Espero que esse sentimento de gratidão e alegria que estou sentido passe para o maior númeto de pessoas possíveis, aqui em BH e ao Rio de Janeiro, no dia 5 de agosto", disse pouco antes de acender a tocha.

Depois de iniciar o revezamento pela Pampulha, a tocha foi para o centro de Belo Horizonte, passando pelas praças Sete, praça da Liberdade, da Savassi, da Bandeira, do Papa e, por fim, chegou á praça da Estação. A festa do revezamento foi encerrada com os shows de Jota Quest e da funkeira Ludmila, com uma expectativa de 30 mil pessoas.

A TOCHA COMO LEMBRANÇA OLÍMPICA

Além das lembranças e do sentimento de participar de uma das cerimônias mais importantes dos Jogos Olímpicos, os privilegiados de carregar a tocha tentam registrar o momento de todas as formas. Mas, se quiserem ter a honra de ficar com o símbolo olímpico, eles precisam ter sorte ou dinheiro. Alguns condutores serão afortunados por receber a tocha de presente de um dos patrocinadores. Caso o objeto não seja ofertado, o condutor até pode levá-la para casa, mas terá que colocar a mão no bolso. Conforme informações da organização, cada tocha custa 500 dólares, cerca de 1750 reais.

Texto de Bruno Trindade e Jhonny Cazzeta, ambos do jornal O Tempo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário