26 de abril de 2014

EMPRESA ENSINA COMUNIDADES A LUCRAREM COM ARTESANATO E TURISMO


As empresárias Marianne Costa, 30, e Mariana Madureira, 31, resolveram transformar a promoção de projetos sociais em comunidades carentes em um negócio lucrativo. As duas criaram a empresa Raízes Desenvolvimento Sustentável e desenvolvem atividades que valorizam o turismo e o artesanato local, além de ajudar na educação profissional da população.
 
Costa e Madureira não revelam o faturamento, mas afirmam que o negócio cresceu 110% de 2012 para 2013.  A empresa, que tem escritórios em São Paulo (SP) e em Belo Horizonte (MG), desenvolve projetos tanto para governos como para empresas. 
Um exemplo de ação, solicitada pelo governo de Alagoas, é a dinamização do turismo no baixo São Francisco, na divisa entre os Estados de Sergipe e Alagoas. As empresárias treinaram moradores, artesãos e comerciantes para atender aos turistas que vão ao local conhecer os cânions do Rio São Francisco. 
Entre as ações que Costa e Madureira realizaram para empresas está o projeto Arara Azul, da Fundação Toyota, em que a Raízes desenvolveu uma ação para garantir outras fontes de renda, como doação de material e captação de outros patrocinadores, e, assim, manter a iniciativa viável. O projeto estuda a arara-azul e ajuda a conservá-la em seu ambiente natural.
"A Raízes nasceu para gerar lucro e o desenvolvimento social. Abrimos a empresa logo depois que nos formamos, em 2006, porque percebemos que não nos encaixávamos no mercado tradicional. Queríamos ter uma atuação mais próxima das comunidades", diz. As duas são formadas em turismo e o investimento inicial para o negócio foi de R$ 35 mil.
Além do trabalho que realiza para governos e empresas, a Raízes Desenvolvimento Sustentável possui um projeto independente, o "Do Barro à Arte", que leva turistas para conhecer artesãs do Vale do Jequitinhonha, nas cidades de Diamantina, Campo Buriti, Campo Alegre e Minas Novas, no Estado de Minas Gerais.
O visitante se hospeda e faz as refeições na casa das artesãs e participa de todo o ciclo de produção da cerâmica, desde a retirada do barro até o acabamento da peça.
Ele também pode acompanhar a vida da comunidade. O passeio é feito em grupos de dez a 14 pessoas, dura de quatro a seis dias e custa de R$ 2.000 a R$ 2.500 (não inclui passagem aérea até Belo Horizonte). "Oferecemos o turismo de experiência, que é vivenciar o dia a dia da comunidade local", diz Costa.
Ela afirma que, por grupo, são gerados cerca de R$ 15 mil de renda para a comunidade. "É um número positivo, principalmente em um local em que a renda familiar média é de um salário mínimo", declara. 
CONSUMIDOR AINDA NÃO VALORIZA TANTO NEGÓCIOS SOCIAIS
Para Marcelo Nakagawa, diretor de empreendedorismo da Fiap (Faculdade de Informática e Administração Paulista), os negócios sociais são tendência. Segundo ele, há cada vez mais empreendedores interessados no tema e pessoas que conhecem o conceito, mas isso não é o suficiente para garantir vendas.
"O empresário não pode ser ingênuo e acreditar que as pessoas comprarão seu produto porque faz bem à sociedade. Ele deve apostar em qualidade e em atender às necessidades do cliente. Não adianta querer vender o benefício social, pois isso não é o principal, é apenas algo a mais", declara.
Ele diz, ainda, que a maioria dos empreendedores da área precisa de ajuda para equilibrar o lado executivo com o filantropo, que é o que mais se destaca normalmente. "É importante buscar a orientação de um mentor para ajudá-lo a ampliar a visão do negócio e a estruturar melhor a empresa", afirma.
EMPRESÁRIA VAI PARTICIPAR DA VIRADA EMPREENDEDORA
Costa participa como palestrante da quarta edição da Virada Empreendedora, evento que reúne interessados em abrir ou aprimorar o negócio próprio e que será realizado das 14h do sábado (26)  às 14h do domingo (27), na capital paulista.
Um dos destaques desta edição é o empreendedorismo social, em que empresas nascem e crescem com o objetivo de ajudar os outros. Para conferir a programação completa e se inscrever, acesse o site

SERVIÇO
Raízes Desenvolvimento Sustentável: www.raizesds.com.br
Virada Empreendedora: www.viradaempreendedora.com.br
Das 14h de sábado (26) às 14h de domingo (27)
Preço da inscrição: R$ 98

Fonte: economia.uol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário