3 de janeiro de 2013

UM PASSEIO TURÍSTICO POR SANTIGO DO CHILE


Capital discreta, de belezas menos evidentes e de moradores reservados. O que chama atenção de Santiago à primeira vista é a riqueza dos bairros modernos, símbolos da estável economia chilena, além da limpeza das ruas e de um quê inglês nos costumes. Hoje  Santiago é a maior cidade do Chile, cidade cheia de histórias e que se localiza no vale central chileno, ao lado da Cordilheira dos Andes.

Os bairros são uma grande atração turística. Ao mesmo tempo cívico, histórico e popular, o centro abriga os calçadões comerciais Ahumada e Huérfanos, além de fachadas neoclássicas e de um hit santiaguino: os cafés con piernas (cafeterias em que as garçonetes usam microvestidos para servir os clientes em pé, nos balcões); Bellavista é uma bairro boêmio, para sair a noite e comer em restaurantes ao som de DJs, e é também onde está a casa de Neruda, hoje um museu emocionante.

O bairro de Lastarria reúne museus de arte, além de ser o bairro preferido dos alternativos, dos gays e dos cafés, tudo girando ao redor da Plaza Mulato Gil, puramente comercial. Já o bairro de Providência concentra a maioria dos hotéis de classe turística, ótimos restaurantes e bares e fica a meio caminho dos outros bairros. Las Condes e Vitacura são os enclaves da elite e do centro financeiro chileno, com prédios espelhados, executivos, animados happy hours, grifes caríssimas e restaurantes de classe A nos arredores das Avenidas Alonso de Córdova, Nueva Costanera e Vitacura. Por fim, temos o bairro histórico chamado Brasil, pacato como uma cidade do interior, é o destino de estudantes, alberguistas e mochileiros de todo mundo.

Entre outros atrativos da capital chilena, destaca-se o Palácio de La Moneda, sede do governo do Chile. O Palácio é de 1805 e foi palco do bombardeio comandado por Pinochet em 1973. Atrás dele, na Plaza de la Constituición, há uma divertida troca de guardas, ás 10 horas, em dias alternados, com músicas bem conhecidas do público.

Já a Avenida Libertador General Bernardo O'Higgins é tão querida pelos locais que é chamada simplesmente La Alameda. A avenida divide a cidade em norte e sul e concentra edifícios históricos como o da Universidad de Chile, A Iglesia de San Francisco e a Biblioteca Nacional.

Outro símbolo de Santiago é o Parque Metropolitano, que se localiza numa colina no meio da cidade, o Cerro San Cristobal, com uma estátua de la Imaculada Concepición no cume. Com entrada por Bellavista ou Providência, tem teleférico funicular, um zoológico simples, um jardim botânico, um pequeno jardim japonês e também piscinas públicas.

A arte em Santigo é muito expressiva. Prova disso é o Museo de Arte Precolombino, em que o maior destaque são as múmias Chinchorro, pequenas e 2 mil anos mais antigas que as egípcias. Há impressionantes esculturas, vasos, utensílios domésticos, tecidos, muita coisa de prata e de cobre, além de cerâmicas com uma idade de 5.000 anos aproximadamente. A sinalização é ótima e há bons mapas localizando cada povo retratado.

Bom proveito e curta muito Santiago do Chile.

Fonte: Revista Tam Viagens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário