4 de outubro de 2012

CARTÕES POSTAIS: UMA IMAGEM DE RECORDAÇÃO


O cartão-postal nasceu no século XIX. Existem basicamente três versões sobre sua invenção: A primeira versão é atribuída ao cidadão norte-americano H. L. Lipman, que juntamente com J. P. Charlton, patenteou em 17/12/1861, o chamado “Lipman’s Postal Card”. Todavia não se conhece exemplar deste cartão circulado antes do início da década seguinte.

Já a segunda versão é atribuída ao diretor dos Correios da Confederação da Alemanha do Norte, Heinrich Von Stephan, por ter lançado a idéia e a sugestão na Conferência Postal Germano-austríaca, em 1865. Peça mostrada abaixo (lado esquerdo da tela): “Centenário do Cartão Postal”, com carimbo oficial datado de 30/11/1965, em homenagem a Heinrich Von Stephan – criador do cartão-postal. Essa é a versão mais aceita do surgimento do cartão-postal.

E a última versão é atribuída a Emmanuel Hermann, professor de Economia Política, da Academia Militar Wiener Neustadt, no Império Austro-Húngaro que, em carta publicada no “Die Neue Freie Presse”, de 29/01/1869, propôs sua adoção sob o título “Uma nova forma de correspondência pelo Correio”. 

A idéia do cartão-postal é bem simples. Um pequeno retângulo de papelão fino, destinado a circular pelo Correio sem envelope, tendo uma das faces destinada ao endereço do destinatário, na qual se encontrava impresso o selo postal, reservando-se a outra para mensagem. O porte do cartão inferior ao das cartas comuns e a dispensa do uso do envelope tornava a correspondência mais fácil e mais barata. O sucesso dos postais foi imediato.

Os primeiros cartões-postais emitidos (hoje, conhecidos como inteiros-postais) constituíam monopólio oficial. Passados alguns anos, vários países em fins do século XIX começaram a autorizar as indústrias particulares a imprimirem alternativamente cartões-postais para circularem pelos Correios depois de apostos selos no valor do porte fixado.

Esta modificação, na aparência pouco relevante para o postal considerado como forma de correspondência, representou estímulo significativo ao seu uso, pois na parte antes destinada à mensagem, começaram a ser impressas gravuras dos mais diferentes tipos.

Para que a mensagem pudesse ser escrita, a gravura em geral não cobria toda a face que lhe era destinada, ocupando apenas parte, por vezes menos do que a metade.

O apelo visual e a diversidade de gravuras em preto e branco ou a cores, despertou o interesse em guardar os cartões-postais que recordavam viagens, ou eram recebidos de amigos, além daqueles obtidos por compra ou troca. 

Fonte: www.girafamania.com

Um comentário:

  1. Las postales, una manera de recordar los sitios en donde hemos estado. Algo parecido a lo que hacemos en nuestros blogs, con nuestras fotografias.

    Un saludo.-

    ResponderExcluir