18 de agosto de 2012

A TENDÊNCIA DAS VIAGENS CORPORATIVAS NO BRASIL


O turismo é um setor em constante crescimento. Tanto é que vem ganhando novas dimensões e atingindo pessoas antes não muito visadas. É o caso de empresários, público específico com necessidades diferenciadas que buscam por serviços que não são utilizados no turismo de lazer, como uma sala de reunião em um hotel, por exemplo. O aumento de viagens corporativas fez com que as empresas destinassem uma parcela maior do faturamento para os encargos delas. Para se ter ideia, os gastos com viagens podem ser responsáveis pela terceira maior despesa, dependendo do ramo, atrás apenas de folha de pagamento e tecnologia.


Com o novo segmento em alta, surgiram as Travel Management Company (TMC) que são agências de viagens especializadas no gerenciamento do turismo corporativo. Elas fazem o papel de consultoria, ou seja, avaliam o perfil da empresa, sugerem melhorias, disponibilizam sistemas de gerenciamento das despesas com viagens, relatórios e outros tantos serviços que farão a diferença no orçamento. A base do trabalho é coordenada por um gestor, que precisa estar sempre atualizado com as novas práticas de mercado. É ele quem faz o ela de comunicação entre a corporação e a TMC, portanto, precisa conhecer bem as necessidades do solicitante, para então definir os objetivos.

Com o objetivo de fortalecer e desenvolver o setor de viagens corporativas, foi criada a Associação Brasileira de Gestores de Viagens Corporativas (ABGEV). Fundada em 2003, ela é a única do setor de gestão de viagens corporativas no Brasil e na América Latina, promove congressos, fóruns, debates, cursos e conta também com publicações periódicas e índices mercadológicos para consolidar o setor. Além do site oficial (http://www.abgev.org.br/), a associação conta com um blog em que são colocados textos e fotos dos congressos e dos associados. Nele, também há espaço para discussão sobre o texto que foi abordado em algum fórum e perguntas interativas para os leitores opinarem.

A segmentação do turismo de lazer e do corporativo é recente, apesar de as viagens de negócios sempre terem existido. Algumas pessoas da área, a propósito, preferem usar o termo viagens corporativas, em virtude de a palavra turismo remeter apenas ao lazer.

Os olhos se voltaram para esse ramo quando empresários perceberam que a atividade carecia de pessoas especializadas e estrutura para esse tipo de cliente. Para o sócio-diretor da Costa Brava Turismo, Rubens Schwartzmann, foi em 2005 que o turismo corporativo deu um salto, quanto seis grandes agências corporativas se uniram e formaram o RESERVE, que é uma ferramenta de gestão de viagens corporativas que integra os sistemas de reservas das companhias aéreas. 

Fonte: Revista Gestão e Negócios

Nenhum comentário:

Postar um comentário