12 de dezembro de 2011

PLANO NACIONAL DE TURISMO


O Plano Nacional de Turismo é um objeto importantíssimo para o planejamento e gestão que coloca a atividade turística como indutor do desenvolvimento e da geração de emprego e renda. O Plano é resultado da harmonia dos vários segmentos turísticos, desde a hotelaria a até as agências, com o objetivo de transformar a atividade em um importante estimulador do desenvolvimento do Brasil.

O plano avança muito no sentido do fortalecimento do mercado turístico interno, com ênfase no aspecto social. Até pouco tempo atrás, o marketing do turismo brasileiro era basicamente voltado para o exterior, porém isso mudou devido a intensidade de brasileiros visitando o Brasil, sendo em média 10 vezes maior que estrangeiros.

Mas o país não deixou de lado as ações do Ministério do Turismo e da Embratur em preparar o Brasil como um dos principais destinos mundiais. As cartas de intenções, que é um instrumento de ação estratégica, o Plano Nacional de Turismo estipula macroprogramas e metas bem claras.

Uma proposta bastante inovadora é a questão da gestão descentralizada do Plano Nacional de Turismo, que envolve o setor público nas três esferas, o setor privado, o terceiro setor e a comunidade local. A gestão descentralizada é de fundamental importância, porque são os atores locais que conhecem e entendem da realidade da região é que podem elaborar estratégias e solucionarem problemas de acordo com as necessidades e potencialidades de cada região.

Quanto as ações de marketing do turismo brasileiro, foram desenvolvidos o Plano de Marketing do Turismo para o mercado interno (Plano Cores do Brasil e o Plano de Marketing do Turismo Brasileiro no Exterior – Plano Aquarela), que propõem uma estratégia de investimentos do Ministério do Turismo nos principais mercados emissores. O primeiro resultado direto do Plano Aquarela, foi a criação da Marca Brasil, que passou a representar a imagem do turismo brasileiro.

Enfim, o Plano Nacional de Turismo veio a ajudar a desenvolver o turismo tanto nacional quanto internacional, de modo a estabelecer uma gestão descentralizada da atividade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário