31 de outubro de 2011

CURSOS DE GRADUAÇÃO EM TURISMO NO BRASIL

Os cursos superiores em turismo no Brasil desde o seu início estavam voltados para a formação profissional para atender as demandas do mercado que estava começando a crescer na década de 1970. Além dos cursos serem direcionados para as demandas do mercado, muitas instituições eram essencialmente movidas pela reprodução do conhecimento, tendo poucos estímulos a pesquisa e a extensão acadêmica.

O aumento de instituições particulares de ensino superior em turismo ocorreu na década de 1970, devido às pressões da classe média que, após o golpe de 1964, passou a protestar por um ingresso ao ensino superior. Essas instituições surgiram na época do “Milagre Econômico”, visando formar mão de obra especializada para os setores da economia que representavam mais uma possibilidade de ascensão social para a classe média.

PRIMEIROS CURSOS DE TURISMO NO BRASIL

1971 – Faculdade de Turismo do Morumbi (hoje, Faculdade Anhembi-Morumbi, SP);
1973 – Faculdade de Turismo Guanabara (RJ), Faculdade Ibero-Americana (SP), Faculdade de Ciências Exatas, Administrativas e Sociais (DF), Escola de Comunicação e Artes da USP (SP);
1974 – PUC de Campinas (SP);
1975 – Universidade Católica de Pernambuco (PE).

A formação do bacharel em turismo é muito recente no país, tendo como iniciativa o Parecer n° 35/71 do Ministério da Educação, organizado pelo relator conselheiro Roberto Figueira e aprovado em 28 de janeiro de 1971. Com base nessa resolução, os cursos de Turismo deveriam abranger no mínimo as seguintes disciplinas: Sociologia, História do Brasil, Geografia do Brasil, História da Cultura, Estudos Brasileiros, Introdução à Administração, Noções de Direito, Publicidade e Organização do Turismo. Além dessas disciplinas, observou-se a necessidade de inserir outras disciplinas, como de Hotelaria.

Em Minas Gerais, o primeiro curso de turismo foi da Faculdade de Turismo de Belo Horizonte (FACTUR) inaugurada em 1974. Ela tinha como mantenedora a Organização Bandeirante de Tecnologia e Cultura de São Paulo, sendo a mesma instituição que mantinha a Faculdade de Turismo do Morumbi.

Na década de 1980, houve pouca expansão dos cursos de turismo em Minas Gerais e no Brasil devido a recessão econômica e questão da ditadura militar no país. Somente no final da década de 1990 que houve um surgimento significativo de faculdades no país, como a criação do curso de turismo da PUC-Minas em 1998 e da UFMG em 2002.

Referência: LUCE, Christiane. O lazer e a formação profissional em turismo no nível superior: reflexões no âmbito da instituição pioneiro em Minas Gerais. CELAR / EEFFTO / UFMG. Licere. Belo Horizonte. 2003.

Um comentário:

  1. Os cursos de graduação ainda são muito deficientes no Brasil, os que tem uma estrutura razoável são das universidades públicas. Em muitos cursos a grade curricular é falha, não possuem laboratórios adequados, os alunos na sua maioria não estão interessados e boa parte dos professores ainda tem muito a melhorar. Mesmo assim, houve uma significativa melhora nos últimos 10 anos.

    ResponderExcluir